DIOR DRAMA

Depois de oficializar Raf Simons como o novo diretor criativo na Dior, os burburinhos por trás da escolha aumentam cada vez mais. Do exagero de John Galliano pro minimalismo de Raf, há quem se queixe: apesar da concepção da Dior ser voltada para o “New Look” pós guerra, foi Galliano quem a levou a seus dias de glória, com muito Barroco e outras excentricidades. A nova escolha de direção prova a decisão de levar a marca ao seu estilo original, mas aceitar Simons depois de toda era Galliano, não parece muito convincente. Que a Dior realmente nunca vai encontrar um designer que substitua essa teatralidade, todos já sabem. Eu particularmente acho que levar a maison para um caminho diferente é exatamente o face-lift que ela precisa no momento. Vamos nos permitir.

De Christian Dior a o atual Raf Simons, veja quem já esteve no comando da maison:

Christian Dior: 1947-1957.

Christian transformou a maneira de se vestir após a Segunda Guerra Mundial e criou o estilo anos 50 ou New Look. Enquanto as roupas da época eram voltadas a simplicidade e com cortes severos, ele propõe o luxo e feminilidade e valorizam a silhueta. Saias que explodiam em volumes e camadas foram sua marca registrada.

Yves Saint Laurent: 1957-1960

Aprendiz e braço direito de Christian Dior, Yves assumiu a direção da marca após a morte do criador no fim da década de 50. Apesar dos 3 anos a frente da marca, foi Yves Saint Laurent quem inseriu as saias acima do joelho dentro das coleções da maison. Causando grande polêmica na época. Apaixonado pelo ballet, Yves criou looks váris looks com inspiração na dança. Como o vestido acima, para Tessa Beaumont.

Marc Bohan: 1961-1988

Foi o designer que permaneceu mais tempo como diretor da marca. Apesar do estilo mais conservador, arrematou para a lista de clientes fixos da Dior ninguém mais ninguém menos do que Grace Kelly de Monaco e Ellizabeth Taylor, além de vestir nomes como Jackeline Kennedy e Sophia Loren.

Gianfranco Ferre: 1989-1996

Foi ele quem colocou a Dior de novo nos eixos. Por ser arquiteto, misturava linhas arquitetônicas e cortes secos com cores ousadas e criava looks provocativos mas sem eliminar a femilidade. Viu sua demissão em 96, quando a grife enfrentou uma crise financeira.

John Galliano: 1996 – 2011

Salve, Salve! John Galliano estava para Dior como Marc Jacobs está pra Louis Vuitton. Se não fossem seus comentários  e comportamento grosseiro, John ainda assinaria muitas coleções pela frente. Autor das mangas e saias bufantes, transformou a Dior em um grande exagero que deu certo. Enquanto Karl criava looks totalmente minimalistas dentro da Chanel, Galliano despertava todo excesso do mundo da moda na Dior. Foi ele quem levou a marca ao seu patamar extremo de uma das maiores e mais cobiçadas do mundo fashion.

Bill Gayten: 2011-2012

Bill WHO? Assumiu o trono enquanto o sucessor de Galliano não era anunciado. Bill tentou manter o estilo original da marca com peças inspiradas no New Look. Também inseriu uma paleta de tons cinza antes não tão usado nas coleções. (Por que será?!)

Raf Simons: 2012 – ????

Vamos ver no que vai dar essa nova escolha. Posso dizer que mal posso esperar até a próxima semana da moda pra ver qual a surpresa que teremos no catwalk da Dior em Paris.

Uma coisa é certa, como shoe designer para homens, ele é simplesmente incrível:

Suspense no ar…

Anúncios

2 respostas em “DIOR DRAMA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s